Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Saltos sem altos

Saltos sem altos

Desabafos felizes

15.07.19, Ana sem saltos

manuel2.JPG

(ontem)

Vai fazer anos, o meu recém nascido, uma mão cheia deles para ser mais precisa, está de peito cheio, valha-me Deus, parece um pombo a fazer-se a uma manada de 45 pombas com o cio (as pombas têm cio?), aparece-me no quarto de manhã todo vestido, penteado de risca ao meio assim tudo acachapado, a pedir ajuda apenas para dizer qual é o sapato do pé esquerdo e qual é do direito.

[Respira mulher.]

manuel3.JPG

(o tamanho da mão <3)

Mas vai fazer, amanhã, e eu estou também num estrondo de orgulho e de  com esta coisa de já se terem passado 5 anos, assim zás tás, pimbas, toma lá um mini homem soberbo.

manuel6.JPG

(O CABELO, O BABETE, O FOFO, TUDO ALTAMENTE IMPROVÁVEL DE SER CONJUGADO)

Entretanto é Julho, certo? Lá fora continua tudo a preto e branco, eu estou constipada e sou tipo homem não apenas a mandar imperiais abaixo mas também quando estou doente, fico com a sensação que estou a ir desta para melhor, tudo me dói e eu quero caminha e chá. Só que não porque, enfim, já não tenho apenas uma mão cheia de anos, tenho centenas delas, estou idosa e cansada. O fim de semana foi de limpeza profunda, desinfeção e desincrutação de bolores das paredes, a casa brilha mas eu estou egsausta, já vos disse? eg.saus.ta. E tenho a cabeça a 4000 que isto de ter apenas um neurónio ativo dá uma trabalheira dos diabos, julgam o quê, e ainda tenho de pensar em bolos, insufláveis, convites, e conter esta espécie de angústia feliz que sinto pelo meu pequeno bizonte de três toneladas já não usar xuxa, nem fralda, nem biberão, e andar de bicileta. E fazer-me, assim do nada, cinco anos.

manuel5.JPG

(comassim, comassim, COMASSIM???)

manuel8.JPG

(aguenta coração, já nem bóias usa)

- Eu não te adoro mãe eu AMO-TE, que amo-te é mais do que adoro que é mais do que gosto. Xabias? Agora dá-me frango xe não não xou mais teu filho.

manel1.jpg

(4 segundos depois, uma mulher espirra e é isto)

Mas não é hoje. Hoje ainda tenho direito a um bebé de 4 anos a habitar-me a casa e o corpo e a alma toda.