Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Saltos sem altos

Saltos sem altos

Greta e o bestialismo online

27.09.19, Ana sem saltos

Uma pessoa está décadas sem escrever até se ver obrigada a debitar prosa sobre a polémica tão afamada dos últimos tempos.

Que a miúda sueca tem o seu ar kreepy, tem.

Que existirão interesses de adultos por de trás da criança que nos ralha, também não tenho muitas duvidas, o meu lado naife já conheceu melhores dias.

Que o seu discurso é inflamado e derrotista, ali a roçar o dramático, o que, por mais que eu goste de um bom drama, pode diminuir a sua eficácia, ora isso também o é.

Que eventualmente irrite, vá, cause aquela comichão nervosa que às vezes temos, aquela cena de pele que não se explica muito bem. Talvez aquele ar de nerd, talvez o ar mandão, talvez o, sei lá, ter razão? Quem gosta que o outro tenha razão numa discussão, não é verdade?

Nada do que acima descrevo justifica a quantidade de alarvidades que tenho vindo a observar e que vem reforçar a minha opinião sobre a besta gigante que as redes sociais estão a criar. E que, não posso negar, me assusta. Afinal há tanto ódio dentro das pessoas mesmo? Já existia ou é o mundo virtual que o cria?

Quanto a vocês não sei, mas a mim cada vez mais me desagrada (para não dizer que apavora) estes shares desmedidos de fake news, discursos que incentivam o ódio e bestialidade, verdadeiras acções de buling em massa de pessoas que tantas vezes se dizem católicas, e boas pessoas, e olhem senhora da rua que vos pariu. Ódios à parte, evidentemente.

Um dos textos que mais me tem chegado mais é a comparação entre Greta e Malala, a jovem paquistanesa que sofreu o que, se deus quiser, nenhum de nós saberá o que é. A mesma que, na minha modesta opinião, representa uma grande parte dos refugiados que morrem afogados a tentar chegar as bordas da Europa e que, e atentem bem a isto, são depois enfiados num outro saco de argumentos fundamentalistas e partilhados exatamente pelas mesmas pessoas debaixo de mensagens tão bem fomentadas como "vão masé para a vossa terra, estamos a ser invadidos pelo islamismo, protejam as vossas crianças, isto é o fim valha-nos deus". 

Digam-me lá pessoas deste mundo, porque raio é que o sofrimento de uma há de invalidar a acção da outra? Sois todos vós também tão diferentes no "privilégio" que tão amargamente acusam a Greta? 

Shame on you pessoas crescidas.

O que é que se passa com este mundo? Estou em vias de emigrar para Marte, não pela "extinção em massa que estamos a dar inicio" mas pelo que nos vejo transformar. Seres sem humanos lá dentro.