Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Saltos sem altos

Saltos sem altos

Foco, fé, e foª§#-se - Trilogia do F

11.11.19, Ana sem saltos
*Disclaimer: este post contem palavras não apropriadas a menores de idade. Não obstante, o conteúdo é elixir da mais pura sabedoria.   Tenho a certeza absoluta que todos nós já passamos por fases menos boas na vida. Não estou a dar novidade nenhuma, a tristeza, quer queiramos, quer não, é um elemento que tende a aparecer, e às vezes de forma totalmente inusitada, quando menos esperamos. O primeiro grande erro que me tenho dado conta nesta longuíssima jornada de vida é não (...)

Voltar

04.11.19, Ana sem saltos
Estava aqui mergulhada em memórias, descobri que faz hoje 9 anos que assinamos a escritura da nossa casa, eu pançuda do primeiro rebento, toda cheia de esperança, expectativa e carnes,  ainda sem saber do turbilhão que estava prestes a rebentar e a fazer-me crescer mais um bocadinho. Com isto mergulhei também nas fotografias deste fim de semana, benzadeus, sou uma sortuda de todo o tamanho. É tão engraçado ver os meus bebés virarem rapazolas, observar o companheirismo deles com o (...)

Greta e o bestialismo online

27.09.19, Ana sem saltos
Uma pessoa está décadas sem escrever até se ver obrigada a debitar prosa sobre a polémica tão afamada dos últimos tempos. Que a miúda sueca tem o seu ar kreepy, tem. Que existirão interesses de adultos por de trás da criança que nos ralha, também não tenho muitas duvidas, o meu lado naife já conheceu melhores dias. Que o seu discurso é inflamado e derrotista, ali a roçar o dramático, o que, por mais que eu goste de um bom drama, pode diminuir a sua eficácia, ora isso (...)

O desafio de educar (III)

06.08.19, Ana sem saltos
Lá venho eu em modo materno, mas todos os dias me surpreendo um bocadinho mais com esta coisa da maternidade, qualquer dia expludo de surpresa. Os meus filhos têm uma diferença de três anos de idade. Isto fez com que nos primeiros tempos tivéssemos uma criança e um bebé, depois passaram a ser duas crianças, e se numa primeira fase - aquela em que o foco é garantir-lhes a sobrevivência e sorrisos - eram tratados de forma idêntica, subitamente acontece uma coisa. Eles começam a (...)

Coisas que me alegram

02.08.19, Ana sem saltos
Seria perfeito estarmos sempre alegres, mas convenhamos, a vida é um palco, que é, mas nem sempre queremos ser palhaços. E a alegria/ euforia, palhaçadas à parte, é um estado momentâneo, ao contrário da felicidade, que não é estado porra nenhuma, é MOTE. Podemos perfeitamente estar tristes na felicidade e alegres na infelicidade. (Pensem nisto) Acho que estar vivo, para além de ser o contrário de estar morto, é isto mesmo: um amontoado de antagonias e bipolaridades. (...)

Post para mulheres

31.07.19, Ana sem saltos
Debandada masculina, pf, que se vai falar de TPM.   Nós mulheres, e feminismos à parte, devíamos ser glorificadas assim ao nível do divino, com hinos e tudo porque, caramba, esta condição que não se escolhe tem imenso que se lhe diga. TPM é o clímax da dor de alma feminina. Não falo só o desconforto físico, isso é penuts, lembremo-nos que damos à luz, produzimos VIDA nas entranhas, ok? Estou a falar da moinha sentimental que, segundo consta, não atinge a todas. A natureza (...)

Viver o agora

25.07.19, Ana sem saltos
Já repararam na dificuldade MONUMENTAL que existe no simples ato de viver o agora? Falácia grotesca esta, ora vejamos, que hipótese temos nós se não habitar no presente? A questão é que muitas vezes o presente passa todo morninho, porque ficamos algures lá atrás a marinar e remarinar o já vivido, todos ahhhh dantes é que era! E vai na volta, quando o dantes era agora nem o estávamos a viver com todo o esplendor, se calhar enfiados num outro qualquer antes, antes desse antes. ( (...)

Isto de escrever

10.07.19, Ana sem saltos
A minha paixão pela escrita começou logo ali nos primórdios do a e i o u. Tive diários desde que me sei gente, onde escrevia coisas tão fabulosas como "Querido Diário, Hoje comi chocapic de manhã e era suposto ter sido eu a ficar com a caixa para ler mas a minha mana ficou de novo, fiquei tão zangada." que foram evoluindo para estados de adolescência e todo o amontoado de dúvidas que é parido nessa fase, 15 toneladas de paixões sempre não correspondidas, que me faziam sentir (...)

Viver no campo vs viver na cidade

09.07.19, Ana sem saltos
(a casa da casa do caracol <3 )   Pois ficai sabendo, minha gente, que esta mulher rude do campo já foi alfacinha de gema. Isto há milénios atrás, naqueles áureos tempos libertos de um amor avassalador que me faz ter forças para fazer rodar o mundo na ponta do indicador. #sermãe   A questão é que o campo foi sempre uma coisa que me esteve entranhada no ADN, e isto porque fui criança muito abençoada, neta de uma avó fenomenal que tinha uma quinta perto de Lisboa onde nos (...)

Conjugar o verbo esperar

04.07.19, Ana sem saltos
Ora aqui está um gravíssimo problema da nossa sociedade contemporânea. Tudo é imediato, aviões para outros continentes, compras com touch ID, facebook e instagram com lives e stories, emails, o correio já só serve para as contas, perdeu a graça T-O-D-A. É inacreditável, uma pessoa espirra a ver cremes na net, e três segundos depois aparece-nos um gajo de motinha a entregar-nos um, qualquer dia somos mesmo teletransportados tipo Songoku. (Bolas esqueci-me de comprar bananas. (...)